quinta-feira, 23/fev/2012 às 01:27pm

 

 

Die Antwoord se instalou como um vírus, incitando pesquisas sobre o universo sonoro e comportamental desse projeto da África do Sul, que se afirma como a principal revolução musical desta década. Mas o que há por trás disso?

 

Ao adotar o Africâner como língua oficial de suas tracks, Ninja e Yolandi espalham o estilo futuristic-rap-rave celebrando a igualdade dos diferentes e à margem, com agressividade imagética nos clipes e violência verbal nos discursos.

 

Ninja é o alterego super-herói de Watkin Tudor Jones, o porta-voz do ZEF, linguagem baseada em gírias que celebram o lado sujo, freak, trash da cultura branca e da geração pós-apartheid sulafricana.

 

Ao seu lado, a musa de boca suja Yo-Landi Vi$$er, coloca por chão a cultura do bling-bling, típica dos rappers norte-americanos. Veja no clipe de “Rich Bitch”.

 

Obscenidade, mistério, política, mestiçagem, periferia, apropriação da interweb (como eles chamam a internet), explosão de energia criativa, jogos de identidade são alguns dos traços do Die Antwoord, que conta ainda com os beats ravers do DJ Hi-Tek na base das tracks do segundo álbum, “Ten$ion”.

 

Acionando o termo freak com todas as doses que podem ser taxadas de politicamente incorretas para os mais conservadores, o Die Antwoord encontra ecos na linguagem da fotografia de Diane Arbus.

 

Para saber tudo sobre a vida e obra de Diane Arbus, o site Artsy.net é o melhor canal. CLIQUE AQUI e mergulhe no universo dessa artista sem precedentes.

 

Mas é no trabalho do fotógrafo novaiorquino Roger Ballen que está a base de tudo. Veja aqui. Entusiasta da fotografia em PB, Ballen criou uma grande celeuma com seu livro “Platteland” (1994), ao mostrar um grupo de pessoas brancas com suas deformidades, que o regime do Apartheid, no poder na época, preferia ter mantido escondido.

 

As fotografias de Ballen exploram o lado escuro ou o lado sombrio da vida humana. Uma premissa do que inspirou o olhar do Die Antwoord para a criação dos personagens que acompanham Ninja e Yolandi.

 

Não é à toa, que Ballen assina a direção do sensacional clipe de lançamento do novo álbum, explicitando de uma vez por todas sem meias palavras: “I Fink U Freeky… And I Like U a Lot”.

 

Shhh… Eis a resposta.

  • Mixtape com algumas tracks do álbum “TEN$ION”
  • Para comprar o álbum, clique aqui

comente up

23/02/2012 às 13:31
Seta

D+!

23/02/2012 às 18:40
Seta

<0/

26/02/2012 às 15:03
Seta

Jackson, obrigada por mais essa delícia sonora, feita para ser degustada sem pressa. Beijim!